SAC vs Consumidor


Por Lucas Oliveira, Marketing.

Há alguns anos atrás comprar um produto ou assinar um serviço era o suficiente para satisfazer a “experiência de compra” do cliente, ou seja, o período que contempla desde a escolha do produto ou serviço a contar com a disposição de informações necessárias para isso, o atendimento e atenção que recebe e o pós-venda que deve ampara-lo em casos de dúvidas, reclamações e gestão de qualidade. Entretanto, a burocracia e os contratempos do pós-venda incentivaram a criação da Lei do Atendimento ao Consumidor, sancionada em 2008 alguns mercados são obrigados a possuir este serviço. Não basta apenas receber ou utilizar o produto, é necessário estar preparado para satisfazer o cliente no momento da venda, durante e após.

Sabemos que são diversos indicadores que devem ser seguidos, tais como atender o cliente em até um minuto ou então facilitar o cancelamento de algum serviço. Tais indicadores estão previstos na lei. Tudo isso vem sendo aprimorado gradativamente. O comprador recebe, consome mais e têm se tornando cada vez mais exigente.

Para atender com eficiência a esta regra é necessário ter uma operação de atendimento receptivo funcionando bem, um sistema que garanta fluidez e uma organização adequada. Com nossas soluções, oferecemos uma série de benefícios que geram uma redução de custos significativa por identificar e mapear os problemas e suas possíveis causas antes que seja tarde. Isso se deve a uma visão geral tida por meio de relatórios e dashboards aprimorados e uma boa disposição de informações. Além disso, trabalhamos com chaves que estimulam um bom atendimento ao cliente. Na era da informação a velocidade nos processos ganha sempre seu devido espaço. Tudo também pode ser adequado as suas necessidades e esse sem dúvidas é o desafio a ser encarado positivamente nos dias atuais.

Assim, podemos traçar um paralelo entre essa relação de consumidor com as empresas que operam este tipo de serviço. Com uma maior exigência e acesso “na vez do consumidor”, manter o bom funcionamento de sua operação é um interesse real e necessário. Logo, ficam os questionamentos do que de fato é essencial para atender bem seu público e, aproveitando-se de um ditado popular, aspirando atende-lo sempre. Inovações surgem no mercado, muitos falam de “SAC 2.0”, porém também é mais rentável estar atento àquilo que irá solucionar as suas carências de um jeito específico e adequado ao seu microambiente.

Tivemos diversas mudanças de comportamento social e de relação entre empresa-cliente, precisamos estar bem preparados para entender e lidar com essas adversidades. Melhorar os fluxos e entender essas modificações colocam o seu negócio à frente, tornam a sua empresa mais competitiva e sim… Os resultados terão que aparecer.